MegaUpload encerrado e Anonymous desencadeiam “o maior ataque de sempre”

O encerramento do site de partilha de ficheiros MegaUpload não ficou sem resposta. Aliás, desencadeou a maior resposta de sempre, diz o grupo Anonymous: mais de 5600 pessoas estão nesta noite de quinta-feira envolvidos num ataque em grande escala a sites de entidades governamentais e da indústria da música e do cinema. Os primeiros alvos? O próprio Departamento de Justiça norte-americano, bem como a RIAA e a MIAA, associações representativas das indústrias da música e do cinema, respectivamente.

Justice.gov, riaa.com e miaa.net são três dos sites que estavam em baixo, às 24h desta quarta-feira, tendo o grupo Anonymous reclamado a autoria dessas falhas através da conta no Twitter (@YourAnonNews).

Segundo a mesma conta, trata-se de uma resposta “à altura” do grande golpe que o FBI norte-americano deu nesta quarta nos muitos utilizadores do site MegaUpload, extremamente popular em todo o mundo, e que permitia a partilha de todo o tipo de ficheiros. É mesmo, garante este grupo que uns vêem como activistas, outros como hackers e outros ainda como “hacktivistas”.

“Tragam pipocas, vai ser uma noite “lulz” longa”, afirmou o grupo, na mesma plataforma de microblogging, quando eram 23 horas em Portugal continental. “O Governo fecha o MegaUpload? Quinze minutos depois #Anonymous encerra sites governamentais e da indústria. Aguardem por nós”, afirmou o grupo, em claro tom de retaliação, pouco tempo depois de ter sido noticiado o encerramento daquele popular site de partilha de ficheiros.

O FBI fechou na quarta-feira o MegaUpload e deteve quatro suspeitos de infracções relacionadas com direitos de autor e lavagem de dinheiro. De acordo com uma nota emitida pelo Departamento de Justiça dos EUA, o MegaUpload gerou de forma criminosa mais de 175 milhões de dólares (135 milhões de euros), “causando mais de 500 milhões em prejuízos para os detentores de direitos de autor”.

Os quatro suspeitos foram detidos na Nova Zelândia e o FBI suspeita ainda do envolvimento de três outras pessoas. A resposta, porém, não se fez esperar.

Poucos minutos volvidos (às 0h18 de quinta-feira), já era possível entrar no site do Departamento de Justiça norte-americano – o equivalente ao ministério da Justiça em Portugal. Porém, mesmo que tenha sido por poucos minutos, o grupo não quer deixar créditos em mãos alheias pelo facto de ter conseguido bloquear aquele site governamental e alega que neste ataque acabaram por se envolver “mais de 27.000 computadores.”

Estas movimentações acontecem numa altura em que nos Estados Unidos se discute a adopção de medidas legais para reforçar a protecção dos direitos de autor. O encerramento do MegaUpload também sucede um dia após o “apagão” que muitos sites de referência, como a Wikipedia americana e inglesa, por exemplo, puseram em marcha, em protesto contra as propostas legislativas que estavam em cima da mesa no Senado e na Câmara dos Representantes – o Protect IP Act (PIPA) e o Stop Online Piracy Act (SOPA), respectivamente.

Nos acontecimentos desta noite, o grupo Anonymous não deixou passar em claro essa disputa entre quem pretende apertar as regras através do SOPA e do PIPA e quem considera que essas propostas legislativas iriam muito para além da protecção dos direitos de autor. “MegaUpload foi apanhado sem o SOPA estar em vigor. Agora imaginem o que aconteceria se a lei passar. A Internet, tal como a conhecemos, acabará. Reajam!”, vincou o grupo, acrescentando: “Não se pode censurar a Internet, não se pode intimar uma hashtag, não se pode deter uma ideia. Mas podem aguardar por nós.”

Nos Estados Unidos, este dia 19 de Janeiro é Dia Nacional da Pipoca. Com uma nota de humor, o grupo assinala que ainda bem que assim é, porque “‘A Internet contra-ataca’ vai passar toda a noite”.

Fonte: Público


About the Author:


No comments yet

Leave a Reply

Media Partner